Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Dimas Braga um patrimônio vivo de Itabuna

Imagem
O poeta grapiúna Dimas Braga há muito tempo - não deixando de escrever poesias - enveredou nas artes plásticas.Neste campo da arte, está desenvolvendo um trabalho de resgate à memória de Itabunae, segundo ele, também do Rio Cachoeira.
Esse seu trabalho é visto na região, emmurosde colégios e logradouros públicos,desde o distrito de Acuipe e Mamoã, no Município de Ilhéus, e nos bairros de Itabuna, com especial destaque para o bairro de Ferradas.
Sem fins lucrativos, ele apenas busca apenas o ressarcimento do custo do material usado, o poeta Dimas Braga, com a sua sensibilidade, visão e ousadia , conta com o apoio da Secretaria de Educação de Itabuna, através de Gustavo Lisboa. Mas, esclarece que 70% do apoio vem do povo.
O poeta e artista-plástico ressalta que tem autorização do Secretário Gustavo Lisboa para realizar esse trabalho em qualquer escola do município. Também realiza nos colégios da rede estadual, com as despesas do material gasto, pagas pelo próprio colégio.
Dimas Bra…

NOSSA POESIA

Imagem
POESIA UM MUNDO DE REALIDADE E SONHOSIntervalo Às vezes,
Todas as dores de uma vida inteira
Gritam...

Às vezes,
Nas mãos, os gestos de perdão
Petrificam...

Às vezes,
As canções dos anjos
Emudecem...

Às vezes,
Os silêncios , numa praia derradeira
Desaguam...

Às vezes...
Só às vezes...

Vera Muniz Postado por Maria Madalena às 20:41:001 comentáriosLinks para esta postagem Marcadores: Rochas Não me apresse.
Meus olhos embriagam-se
Na visão altiva das montanhas...


Não tenho pressa.
Meu corpo inteiro dança
No ritmo idílico da eternidade...


Componho, pedra a pedra,
O jardim onde meu coração habita.

Vera Muniz Postado por Maria Madalena às 20:31:000 comentáriosLinks para esta postagem Marcadores: ALEGRIA Trêmula gota de orvalho
Presa na teia de aranha,
Rebrilhando como estrela.

Helena Kolody
In: Correnteza Postado por Maria Madalena às 19:30:000 comentáriosLinks para esta postagem Marcadores: CICLO Do telhado, solitário,
Sempre, um corvo centenário
Observa o pátio da escola.

Há um sécul…