Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

PONHA UMA TOALHA DE VIDRO NA SUA VIDA

Imagem
Ponha uma telha de vidro na sua vida, recomendava Rachel de QueirozPosted on maio 27, 2016by  Rachel era mesmo uma garota linda A romancista, contista, tradutora, jornalista e poeta cearense Raquel de Queiroz (1910-2003), no poema “Telha de Vidro”, ensina que um simples toque de criatividade na troca de uma simbólica telha pode mudar tudo para melhor em nossas vidas. TELHA DE VIDRORachel de Queiroz Quando a moça da cidade chegou
veio morar na fazenda,
na casa velha…
Tão velha!
Quem fez aquela casa foi o bisavô…
Deram-lhe para dormir a camarinha,
uma alcova sem luzes, tão escura!
mergulhada na tristura
de sua treva e de sua única portinha… A moça não disse nada,
mas mandou buscar na cidade
uma telha de vidro…
Queria que ficasse iluminada
sua camarinha sem claridade… Agora,
o quarto onde ela mora
é o quarto mais alegre da fazenda,
tão claro que, ao meio dia, aparece uma
renda de arabesco de sol nos ladrilhos
vermelhos,
que — coitados — tão velhos
só hoje é que conhecem a luz do dia… A lu…

DOIS POEMAS RECENTES DE JOSELITO DOS REIS

Imagem
RIO DE ONTEM
                                                                              Ao Rio Cachoeira
Pratibús, piabas, pitus.
Tucunarés, acaris, berés.
Calambaus, barrigudas, piaus.
Curucas, sapateiros, jundiás.
Robalos, moreias, Curimatás.
Bagres, piabanhas e acaris.
E ate piranhas!... As suas margens abençoadas
Capivaras, tatus e juritis.
Macucos, graúnas e paturis.
Rota dos coronéis do cacau
Saracuras, preás e jabutis... Nas suas águas límpidas e cristalinas
Dos jangadeiros, dos meninos e das meninas.
Banhavam-se, se deliciavam...
Ouvindo o cantar dos bem-te-vis...
Periquitos, curiós e arapuãs... Dia de sol radiante da feliz manhã...
Do Rio livre a correr rumo ao mar
Das lavadeiras e dos pescadores a cantar
Peixes e crustáceos, para vender e do lar. - Como e bom sonhar!... Pois, tomado pelas lembranças.
Desse rio, ontem perfeito!
E hoje do leito desfeito e destruído...
.
Não deixo minhas lágrimas caírem
Mesmo na impotência da minha
Frágil consciência...
Por não poder evitar sua degradação, solução..…

Agitação Cultural Buerarema 2016/Música, teatro e tradições populares

Imagem
Projeto Agitação Cultural Buerarema encerra programação em junho com música, teatro e tradições populares
A programação do projeto Agitação Cultural Buerarema 2016 encerra em junho, com diversas atividades: Trezenário de Santo Antonio (1º a 13), show do compositor Marcelo Ganem em comemoração ao Dia do Meio Ambiente (5), peça de teatro Dois Perdidos Numa Noite Suja (17 a 19) e apresentações de quadrilhas juninas. O projeto é uma realização do Instituto Macuco Jequitibá, por meio do Edital de Agitação Cultural/Dinamização da Casa de Cultura Jonas&Pilar, com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

As atividades da Agitação Cultural Buerarema começaram em janeiro, com feira de artesanato e oficina de produção de chocolate orgânico e terminam com as apresentações das quadrilhas juninas, em junho. O foco do projeto é enriquecer a produção artística local, educar plateias e proporcionar novos conhecimento…

ADEUS AZULÃO BAIANO!

Imagem
terça-feira, 17 de maio de 2016AZULÃO BAIANO SEPULTADO ONTEM EM IBICARAÍ
Sem a presença de nenhuma autoridade municipal, mas contando com os seus familiares, membros do Clube do Poeta Sul da Bahia, que fizeram as despedidas com um recital de poesias, Grupo de Capoeira de Ilhéus e o amigo Waldyr Montenegro (Boró), foi sepultado ontem (16) às 17h, na cidade de Ibicaraí, o corpo do poeta-repentista, compositor e cantor, mestre de capoeira, maratonista e cantor, aos 81 anos de idade, Nelson Ribeiro da Silva (Azulão Baiano) que completaria 82, anos de idade, agora, em Junho. Nasceu em Maraú, em 1934.
Nas despedias finais, além das poesias recitadas pelos poetas: Adeildo Marques, Rogério Medrado, Joselito dos Reis, e pronunciamentos dos jornalistas Paulo Lima, e Waldyr Montenegro. Paulo Lima fez um apelo às autoridades de Ibicaraí, para que essas fizessem uma homenagem ao grande poeta Azulão Baiano, dando-lhe, pelo menos um nome de rua ou logradouro, já que o poeta era um grande nome da noss…