A Praça

Saguins ao sol do verão do meio dia

De galhos em galhos a barulhar...

Nas árvores de folhas mochas

Castigadas pelo tempo

Chegada de mais um Nata!

De mais um Ano Novo!

Dentro de um jardim sem flor

Ambiente triste e vazio...

Mas, de gente miseráveis...

Se digladiando nos vícios...

Também se ouve falso ou não...

A interpretação de uma canção

De um profeta qualquer

Tentando salvar o mundo...


Alheios, movidos em sonhos alucinantes...

Nóias e maltrapilhos nem estão ai...

E assim segue a multidão

E assim segue a multidão...


Joselito dos Reis

31.12.11

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna

Faeg vence edital para semear cultura pelo sul da Bahia

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO