ADEUS AZULÃO BAIANO!



terça-feira, 17 de maio de 2016

AZULÃO BAIANO SEPULTADO ONTEM EM IBICARAÍ


Sem a presença de nenhuma autoridade municipal, mas contando com os seus familiares, membros do Clube do Poeta Sul da Bahia, que fizeram as despedidas com um recital de poesias, Grupo de Capoeira de Ilhéus e o amigo Waldyr Montenegro (Boró), foi sepultado ontem (16) às 17h, na cidade de Ibicaraí, o corpo do poeta-repentista, compositor e cantor, mestre de capoeira, maratonista e cantor, aos 81 anos de idade, Nelson Ribeiro da Silva (Azulão Baiano) que completaria 82, anos de idade, agora, em Junho. Nasceu em Maraú, em 1934.

Nas despedias finais, além das poesias recitadas pelos poetas: Adeildo Marques, Rogério Medrado, Joselito dos Reis, e pronunciamentos dos jornalistas Paulo Lima, e Waldyr Montenegro. Paulo Lima fez um apelo às autoridades de Ibicaraí, para que essas fizessem uma homenagem ao grande poeta Azulão Baiano, dando-lhe, pelo menos um nome de rua ou logradouro, já que o poeta era um grande nome da nossa cultura, não só de Ibicaraí, mas sul da Bahia e do Brasil, além do exterior. E solicitou ao colega, Waldyr Montenegro para que solicitasse esse preito junto às autoridades à merecida homenagem. Waldyr , ressaltando a grandeza de seu grande amigo, que o tratava como filho, o chamando de "meu bisqui", bastante emocionado, disse que iria lutar para isso acontecer. 

O grupo de capoeira de Ilhéus fez uma linda mensagem na despedida, invocando o umbandismo do poeta, informando que as musicas de capoeiras interpretadas por Azulão Baiano são hoje tocadas em vários países da Europa, Ásia e nos Estados Unidos. Azulão, que foi também um dos idealizadores da FICC – Fundação Itabunense de Cultura Cidadã, em Itabuna, ao lado de Ritinha Dantas, com o patrocínio, deste grupo de capoeira, deixou dois CDs gravados.     

POETA

O oxigênio ficou perfumado
As flores desabrocharam e choraram
As arvores o acompanharam..
O beija-flor, liderando todos os pássaros,
Verteu uma lágrima... De magia da dor...

A Terra em silencio tremeu
Os anjos do Senhor o abençoaram
Era a despedida do poeta  (ave!) "Azulão!"
Não era realidade ou ilusão
Era de Ipiaú, um baiano...
No caminho celestial da eternidade...
Deixando para trás uma saudade!

Lá vai o poeta!
Lá vai o Azulão!
Lá vai azulão!
Lá vai o poeta!

Nesta tarde triste ou alegre...
Segredo dos anjos dourada
Da Terra do Senhor Menino!
Na cidade de Ibicaraí.

Lá vai o poeta...

Lá vai o poeta...

segunda-feira, 16 de maio de 2016

MORRE EM IBICARAÍ O POETA AZULÃO BAIANO

Adeus Azulão Baiano
Morreu na noite de ontem (15)  na cidade de Ibicaraí, cidade há 35 quilômetros de Itabuna-BA  o poeta e ex-militar Nelson Ribeiro da Silva (Azulão Baiano) aos 82 anos de idade. O seu corpo está sendo velado no Velório Nova Vida, Rua São Vicente de Paula, centro daquela cidade e, será sepultado às 16horas. Azulão Baiano, um dos poetas  repentistas, mais respeitados e premiados do norte/nordeste, deste país, com várias outorgas a nível nacional, deixa uma grande lacuna neste gênero literario, após a morte do, também, repentista, Minervino da Silva. Além de poeta, Azulão Baiano, violeiro nato, foi militar, regente de fanfarras/filarmônicas e bandas do Estado, além de deixar dois CDs gravados, com músicas da nossa história regional, muito delas voltadas para a magia do candomblé. Azulão Bahia, também foi o autor da sigla: "FICC", pois ele, ao lado da nossa amiga Ritinha Dantas participaram da criação, da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). Veja artigo abaixo  da nossa ultima visita ao poeta, quando lhe proporcionamos uma homenagem na Câmara de Vereadores de Ibicaraí  O que, o deixou muito alegre. Ultimamente, Azulão estava cego e lutava contra um diabetes!        

AZULÃO BAIANO RECEBE HOMENAGEM EM IBICARAÍ

Azulão em sua humilde casa
Especial -  por Joselito dos Reis - Dezesseis de abril! Dia de sol radiante, escaldante, de céu azul, com algumas nuvens turvas no espaço, o carro cortava o asfalta de Itabuna, com destino a cidade de Ibicaraí. Ao lado do poeta e empresário Adeildo Marques estávamos à procura do cidadão Nelson Ribeiro da Silva, o nosso grande poeta, regente, compositor, cantor e ator “Azulão Baiano”. Chegando a Ibicaraí, ao lado do nosso amigo/irmão e professor Waldyr Montenegro que nos recebeu em sua residência ao lado da sua digníssima esposa, Yara, nos ofereceu um delicioso almoço. Em seguida fomos ao encontro do famoso “Azulão” que seria homenageado com o título de “Personalidade Municipalista”. Um projeto do Jornal Correio dos Municípios e que vem dignificando personalidades do sul da Bahia e que fazem o desenvolvimento regional e do seu município.
Azulão com sua viola "sorriso"

Com mais de cinco anos sem contato, o nosso querido “Azulão” violeiro nato, às 14h30min, o encontramos na Rua Paraíso 583, bairro Caxingó, numa casinha simples de chão batido. O nosso violeiro, sem camisa, devido ao calor que era intenso, naquela tarde, nós recebeu com grande alegria e emoção, ao lado da sua “nega velha!”, como ele trata a sua companheira, e sem saber ainda que seria homenageado, as lágrimas transbordaram em seus olhos nublados. A todo momento, os enxugavam com um lenço azul. O poeta, que tempos atrás, se apresentava no Calçadão da Marquês de Paranaguá, na cidade de Ilhéus, com sua viola “chorona” sumiu de circulação.
Azulão o nosso lado
Na sua casa simples foi recíproca a grande alegria e emoção do encontro, diante do Salmo 21, através de um quadro, pregado na parede de entrada de sua casa. Como simples foi a manjedoura do nascimento do Menino Jesus. Na oportunidade, de posse da sua viola “sorriso”, porque a “chorona” se encontrava em conserto, sentimo-nos tristes e ao mesmo tempo alegres. Tristes porque o nosso poeta repentista estava completamente cego, devido a uma enfermidade de glaucoma e catarata! Enxergando somente alguns vultos... E alegres pelo motivo de estarmos diante do grande poeta, com a sua cegueira, que não era provocado por uma diabete, como fomos informados.
Azulão, Adeildo e Clovisnaldo, no calçadão/Ilhéus.
Nessa época ele enxergava -Foto: Joselito dos Reis 
Diante do seu estado, acreditamos que com um acompanhamento oftalmológico sua situação poderia ser revertida. E, o nosso poeta voltar a enxergar. Vamos agora lutar para isso! Contando com a sensibilidade dos médicos da especialidade de Itabuna ou Ilhéus.  Graças a Deus!

Entoando sua “ viola Sorriso”, atendeu nossos pedidos e tocou algumas de suas musicas e recitou poesias, o que foi tudo registrado; fotografado e filmado pelo professor Waldyr Montenegro. Para quem não sabe, foi “Azulão Baiano” que idealizou o nome “FICC”, à Fundação Itabunense Cidadania Cidadã, ao lado de  Ritinha Dantas, no Governo Ubaldo Dantas, quando foi criada a instituição. Azulão Baiano sabendo que seria homenageado, confirmando sua participação, as lágrimas, novamente, voltaram a cair e correr por suas faces cansadas e enrugadas pela ação do tempo, dos seus 80 anos de idade. O poeta nasceu em 05 de outubro de 1934, na cidade de Ipiaú, Bahia.

Azulão que juntamente com várias autoridades da cidade de Ibicaraí, serão condecorados pelos serviços relevantes à comunidade, no próximo dia 07 de Maio de 2015, às 19h, no auditório da Câmara de Vereadores, local, vai contar também com a presença dos poetas, do Clube do Poeta Sul da Bahia, que farão um grande recital de poesia, quando será instalado o Núcleo de Poesia do Clube, Nivaldo Melo, que será coordenado pelo jornalista  Waldyr Montenegro, com Azulão Baiano sendo um convidado especial.
 “Azulão, enquanto há vida, há esperança!”  Vamos fazer o show!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna

Faeg vence edital para semear cultura pelo sul da Bahia

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO