POEMA DE ANTONIO NUNES

Antonio Nunes de Souza * 
Onde Andara? Onde Andara?                            

Onde Andara AQUELE Humano ser,
Esculpido com Tanto Prazer,
Pela Divindade Maior?
Observando o Que ESTA acontecendo,
Parece Que ESTA Morrendo,
Resultado da SUA Própria maldade!

Onde Andara AQUELE Humano ser,
Que com carinho se fez merecer,
Ser a Imagem e Semelhança?
A Opaco Passa CADA Minuto,
Suá Mente si Desgraça,
E era com discrepancia!

Onde Serviços Andara AQUELE Humano
Que Localidade: Não desejava o Poder,
E emanava CALOR humana?
Por Que Sera Que preferiu a maldade,
De proceder SEM piedade,
Transformando-se los hum monstro profano?


Os CETICOS desesperados e ateus,
Boatam parágrafos de Todos os Lados,
Dando hum Deus UMA Má fama!
O Homem Que Localidade: Não FOI Feito de barro,
FOI obra de hum escarro,
Ou esculpido com lama!

E lamentável o Opaco ESTA ocorrendo,
De desgosto ESTAMOS Morrendo,
Vendo ESSE SERVICOS AndAndo pra Traz!
Sera, que foi Localidade: Não obra santificada,
FOI UMA grande trapalhada,
Do Tinhoso Satanas?



               * Escritor Membro da Academia Grapiúna de Letras de Itabuna - antoniodaagral26@hotmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL É TEMA DE NOVO LIVRO DA EDITUS