POEMAS RECENTES DE JOSELITO DOS REIS

SOLIDÃO INFINITA


Chove lá fora, os pingos da chuva.
Traz-me a solidão, me entristeço.
De estar presente, longe e ausente.
Confuso, vêm às lembranças, lágrimas.

Por um sublime instante, imponente.
Tento enxergar a tua bela imagem
No finito de minha frágil capacidade
Nesta cidade, triste e vazia, não consigo...

Tento fugi ao encontrar do infinito
E zarpo em um navio, negro, estrelar.
Sem destino talvez a um mar celestial!

Na esperança de me deparar nos sonhos
Com a força da grandeza que nunca tive
Deparando-me com o amor do teu abraço!
  
28.07.14


CASTIGO...

                      Aos jovens da lll idade

Quando jovem;
Belo, bonito, charmoso...
Anjo lindo!

Quando velho;
Feio, imprestável, babão...
Diabo velho!

Sofro a tortura e a melancolia do tempo
Sou poeta, sou humano, esperança...
Na busca constante da vida, da alegria.
Vivendo na corda bamba da ignorância!

19.07.2014

ILUSÃO

Na ilusória vida, na busca da alegaria
Nos bares da falsidade, da fantasia
Entre um gole e outro de noite e de dia
Enganando a mim mesmo, sofria!

Sabia! Mas, vivia a sorri, a amar...
Como o vento a soprar, a sonhar!
Entre lágrimas, dores e risos, parti!
Dando adeus àquela vida insana, tirana

Na busca de ser feliz! Só sonhei...
Tentei ser soberano, foi tudo em vão...
E, como o sol que se esconde no verão...
Recuei, e tornei-me escravo da solidão.

 26.07.14

MISERABILIDADE

Às crianças
Que morreram no lixão de Itabuna

Fumaças pretas no ar
Fogo no barracão!
Construído de madeira velha
E papelão
Num lixão entre mil no Brasil

Quatro crianças
Com gritos de socorro
Suplicam no terror pela vida...
Interromperam seus sonhos
Morreram carbonizadas
Em um mundo subumano;
Cruel, insano e perverso

Enquanto a nação brasileira
Na pré Copa do Mundo,
Cega gritava em um só coro:
“Brasil campeão, Brasil hexa-campeã!”
Corrupção e fogos no ar...
Tudo é festa!
E todos foram pra lá!

Aqui, sem luz de vela.
Mas, da divina.
A favela de um lixão
Sepulta, crianças
Sem piedade e sem perdão
Sob o rio de lagrimas
De seus pais...
Que continuam no lixão!

Triste nação!   
Triste nação!

30.05.2014

 Morena

Cabelos soltos
Ao vento
Profundeza no olhar...

Lá vem a morena
Bela e faceira
Subindo a ladeira
Cabelos longos
Pra lá
Cabelos lisos
Pra cá...

Lá vai a morena faceira
Descendo a ladeira
Cabelos compridos
Pra cá
Cabelos pretos
Pra lá
Deixando o coração
Deixando o coração
Do poeta a sonhar!

Cabelos longos
Pra lá
Cabelos lisos
Pra cá...

Cabelos pretos
Pra lá
Cabelos compridos
Pra cá...

01.01.2003

NÃO JULGUES

Tu me julgas
Ameaças-me
Mas, não sabes.
O tamanho da minha dor...
Da minha tristeza...

Sentimentos
Que só pertencem a mim
Só pertencem a mim
Só pertencem a mim
só eu, os entendo!

Pela força do Universo
Somos todos diferentes
Cada um com seu DNA, único.

Por isso não me vejas
Pelo o avesso, pelo mal.
Não somos iguais!
Cada cabeça é um mundo
Ninguém tem a impressão digital
Igual
Uns colhem o bem!
Outros colhem o mal!


28.07.13


 VOO DA MORTE


Em meio à guerra em Gaza
Uma interceptação de um voo
Ação levada pelo fanatismo...
Um pássaro de aço abatido!

Entre os destroços da ira maldita
Entre as estrelas e o mar azul
Corpos humanos destruídos
Adeus na terra, à vida de sonhos.

Sobre os destroços daquele cenário triste
Vê-se rosas: vermelhas, brancas e amarelas.
Parecendo implorar a paz à singela vida
Talvez clemência dos espíritos que se foram...

 18.07.2014

contatos: reislito@hotmail.com
73 8846 0505.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna

Faeg vence edital para semear cultura pelo sul da Bahia

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO