MORRE RAMON VANE

Buerarema decreta luto oficial de três dias pela morte do ator e poeta Ramon Vane

O ator Ramon Vane, filho da cidade de Buerarema, Sul da Bahia que completaria 58 anos amanhã 17, morreu na madrugada deste domingo (15), após ser internado semana passada no Hospital de Base em Itabuna. O ator foi vítima de um AVC.  Ramon Vane, poeta, ator e advogado, era um dos atores mais ilustres desta terra, representava como poucos a arte do artista baiano.
Em outubro de 2011, ele foi premiado pela interpretação no longa-metragem “O homem que não dormia”. 
Vane, que era sócio do Clube do Poeta sul da Bahia,  interpretou o personagem Pra Frente Brasil, no filme de Edgar Navarro. A película, que foi rodada em Igatú, na Chapada Diamantina, conta a história de cinco pessoas que, numa mesma noite, sofrem com o mesmo pesadelo. O filme fala de um homem sinistro e a procura por um tesouro (imaginário) como desencadeadores da história.

Ramon Vane é de uma grande descendência de atores  dos anos 70, que surgiu ao lado de Gal macuco, Zé Delmo, Zé Henrique, Aldo Bastos, Jackson Costa, Alba Cristina, Carlos Betão, Marcos Cristiano e muitos outros. Foram revolucionários  do tetro regional e criaram e integraram  o “Grupo Macuco”, “Grupo Encena”. Muitos deles ganhando outras fronteiras, a nível regional, nacional e internacional.   

O enterro do seu corpo aconteceu no cemitério municipal de Buerarema, às 15h, de hoje. O prefeito do município Vinicius Ibrann decretou luto oficial de 3 dias.

NOTA DE PESAR - RAMON VANE

ON .

11096387 861987600514694 1201357032091673113 o
O ator Ramon Vane no backstage da Paixão de Cristo em 2015, rodeado por outros colegas de elenco. (Arquivo ASCOM FICC).
É com grande pesar que a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) registra o falecimento do ator, poeta e advogado Ramon Vane. Premiado como melhor ator coadjuvante no 44º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro pela interpretação do personagem “Pra frente Brasil” no filme “O homem que não dormia”, de Edgard Navarro, teve passagem pela FICC onde interpretou o rei Herodes no espetáculo “Paixão de Cristo”. Seu desaparecimento causou grande consternação à classe artística e a FICC expressa seus maiores sentimentos ao seu grande número de amigos, admiradores e familiares. 
Itabuna, 16 de janeiro de 2016.
DANIEL GARCIA MORENO DE SOUZA LEÃO
Diretor Presidente

_________________________________________________________________

NOTA DE PESAR - LITZA MARY MODESTO CÂMERA

ON .
É com grande pesar que a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) registra o falecimento da professora Litza Mary Modesto Câmera, pedagoga, professora de História, Francês e Didática, uma das fundadoras da Faculdade de Filosofia de Itabuna (FAFI), da Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna (FESPI) e uma das grandes entusiastas da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Como educadora, passou por escolas em Itabuna como o Colégio Divina Providência, o Colégio Estadual de Itabuna (onde também foi diretora) e o Colégio Cenecista Firmino Alves. Natural de Itapé, a professora Litza escolheu a cidade de Itabuna para morar. Tinha 94 anos e deixa 3 filhos (Paulo, Thales e Cristina), além de netos e bisnetos. Seu desaparecimento causou grande consternação, especialmente entre profissionais do magistério, e a FICC expressa seus maiores sentimentos ao seu grande número de amigos, admiradores e familiares. 
Itabuna, 16 de janeiro de 2017.
DANIEL GARCIA MORENO DE SOUZA LEÃO
Diretor Presidente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL É TEMA DE NOVO LIVRO DA EDITUS