TELMO PADILHA 16 ANOS NA ETERNIDADE

No último dia 16 de Julho completaram 16 anos da morte, provocada, por um acidente do poeta e jornalista  Telmo Fontes Padiha, na rodovia Itabuna/Buerarema. Nome que muito representou Itabuna, quando cerca de 40 obras suas, foram traduzidas para outras línguas  e o poeta em Itabuna sequer é um nome de rua.

Depois de sua morte, o jornalista seu amigo, Joselito dos Reis entregou um documento à Câmara para que o seu nome  fosse dado  a uma das praças da cidade (Alto dos Eucaliptos ,bairro da Conceição,onde residiu o poeta, mas o projeto  foi arquivado, na época pelos  vereadores:  Luís Sena e Carlito do Sarinha.

Os vereadores de nossa cidade bem que deveriam  rever esse projeto. Com certeza, os familiares do poeta e os itabunenses  agradeceriam.  As  autoridades  (vereadores) , dessa cidade,  bem que deveriam olhar com mais carinho essas questões. O homem morre, mas sua história fica.    


Telmo Padilha, além de um poeta  internacional, também era funcionário  público federal da Ceplac, fundador  do PACCE e do extinto jornal “Tribuna do Cacau”.   

ITABUNA

Se não há montanhas,
como escalá-las?
Se não há florestas,
Com embrenhar-me
em sombras
que não estas?
Se não há o mar,
como falar de águas
e horizontes?

Sou o cantor
desta planície
e me abismo
em mim,
e desço aos outros
de mim,
e sofro os outros
de mim.

Publicado no blog - :http://www.antoniomiranda.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL É TEMA DE NOVO LIVRO DA EDITUS