TELMO PADILHA 28 ANOS EM OUTRA DIMENSÃO

UM GRANDE NOME DE NOSSA CULTURA GRAPIÚNA
Telmo, os poetas não morrem...
O nosso amigo poeta, Telmo Fontes Padilha, que morreu no dia 16 de Julho de 1997, está completando 28 anos em outra dimensão. O poeta morreu num trágico acidente automobilístico, entre as cidades de Buerarema/Itabuna. Com mais de 40 obras literárias, a maioria poesia, e traduzidas em diversos idiomas, mostrando a nossa cultura do cacau lá fora, o poeta, ainda,  não foi reconhecido pelo menos, com um nome de rua em Itabuna! Para nós, um absurdo!

Telmo Padilha nos ajudou na implantação do Clube do Poeta Sul da Bahia, quando o fundamos na redação do extinto Diário de Itabuna, em 02 de Janeiro de 1991, ao lado, também, do grande e saudoso poeta e contista Ariston Tibério Caldas. 

Filho de Ferradas, mesma terra onde nasceu seu compadre, o escritor Jorge Amado, Telmo, era funcionário público da Ceplac, nunca deixou a sua terra, que ele tanto amava, como ninguém. Portando, merece ser um nome de logradouro em sua cidade. Com a palavra a Câmara de Vereadores de Itabuna.  

Poesia lírica de Telmo 
     
Sina
Quem deu a esse homem
Seu destino de homem?
E por que há de cumprir
Entre o começo e o fim
Sua jornada, exposto
À sua fração do nada?
Quem o fez pássaro
Por instantes
Para a noite que o sabe
Ausente de asas
Ante o mar que o traga? 

Do - jor.brjornaldepoesia.jor.br

Foto original de Joselito dos Reis

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna

Faeg vence edital para semear cultura pelo sul da Bahia

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO