Desencontro

 Uma grande luta
Joselito dos Reis Santos chegou a Itabuna em 1958, nascido na cidade de Ibicaraí (Distrito dos 41/Vila Santa Isabel), em 16 de Agosto, o mais velho da prole de oito irmãos, filho de tropeiro e doméstica (José DERALDO e Josefa dos Reis Santos) hoje com 59 anos, já deu muito duro para chegar onde está. Com o titulo de Cidadão Itabunense pelo reconhecimento de seus relevantes serviços, concedido em 1998, já pegou carrego na Feira Livre, vendeu água no carote, trabalhou como camelô vendendo cinto, foi entregador de pão e balconista da Padaria Santa Fé, no bairro da Conceição. Tudo isso antes de completar seus 15 anos.

 Nunca abandonando seus estudos, e rabiscando versos, também trabalhou no Terminal Rodoviário Francisco Ferreira da Silva (Box São José e a empresa Santa Efigênia). Fez vestibular na UESC em 1979, passou na primeira tentativa, para o curso de Pedagogia, mas, por problemas financeiros não pôde concluir o curso, porém, não deixando o sonho para trás, em 2012 ele o realizou, estudando hoje na faculdade UNOPAR. 

De lá para cá trabalhou 25 anos no Diário de Itabuna, onde conseguiu seu registro profissional, como jornalista, em 1975, passou ainda pelo jornal Tribuna do Cacau, foi diretor de comunicação da Câmara Municipal de Itabuna, além de vários outros órgãos de comunicação no sul da Bahia, hoje é Coordenador de Comunicação da Emasa, e com grande satisfação informamos que ele é um grande amigo dos idosos e deu o nome ao nosso jornal, “Nova Vida” do qual ele foi o seu primeiro editor, ao lado do jornalista Edvaldo Lessa.    

Como poeta, pretende lançar seu livro “Gritos sem eco”, ainda este ano, já em processo de editoração na Gráfica Editora Mesquita.

Obs: Este artigo foi produzido para o jornal Nova Vida, solicitado por seu editor, Ornam Lapa Serapião, Secretário e Conselheiro, do Conselho Municipal do Idoso. 

Veja um dos seus  poemas: 

DESENCONTRO
 
Quando te vejo
meu inocente coração
bate mais forte de desejo

Mas na tua distância 
caio em sonhos mórbidos
de uma noite misteriosa

E tragado por uma solidão
evaporo-me na poeira 
de uma incerteza sem fim.

Joselito dos Reis
08.02.12
reislito@hotmail.com

Comentários

  1. Meu velho amigo e poeta. Feliz de te reencontrar. Estou a disposiçao para integrar esta irmandade ao igual que fiz no sul onde tive a felicidade de ser fundador da Casa do Poeta Esteiense. Estou de volta a terrinha. Gostaria de deixar aqui a minha semente da alma também. abrazos fraternos em portunhol.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL É TEMA DE NOVO LIVRO DA EDITUS