Rio Cachoeira

Quando me lembro
De minha infância querida
E de meu Rio Cachoeira
Vem a tristeza
Choro...

Vendo hoje
Seus peixes emergindo
Disputando o oxigênio

- Mortos

Disputados pelas aves de rapina
Podridão em todos os sentidos

Triste humanidade!
Triste humanidade!

Está auto se destruindo...
O que será do amanhã?

Nunca mais o cantar
Do juriti, do araquã!

Que sina...

Joselito dos Reis
26.04.12

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"O Menino da Vila Zara" Artigo de Joselito dos Reis

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS