Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna


UMA JUSTA HOMENAGEM 


Merecidamente o professor e historiador, João Cordeiro de Andrade foi um dos escolhidos, entre os vinte e quatro professores do Sul da Bahia, que receberam no último dia 13, deste mês, a homenagem do "Mérito Educacional 2016". A honraria é concedida pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), aos profissionais que muito contribuíram e continuam contribuindo, com a nossa educação e com o nosso desenvolvimento. A solenidade aconteceu no espaço “Terceiro Via Hall”, em Itabuna, reunindo os homenageados, seus familiares e ex-alunos, além de autoridades, profissionais de imprensa e representantes do segmento da Educação regional. Na solenidade, também foi homenageado o Frei Joaquim Cameli por ter contribuindo para o desenvolvimento da Educação itabunense.

Traços Biográficos


O professor João Cordeiro de Andrade que tem um trabalho incalculável em nossa região, ultimamente atuando na Biblioteca da UESC, após realizar um grande trabalhos  no CEDOC, daquela Instituição. Veja aqui seus traços biográficos:  Uma homenagem do seus amigos, Aecio Santos e Evani Pedreira.



Antes de falar alguns fatos sobre João Cordeiro me vem à memória a imagem dos quatro evangelistas: Matheus, Marcos, Lucas e João, que se refere às virtudes cardeais: Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança.
A referida introdução procura reforçar o que se segue ao situar o nome João um grande amigo e profissional dedicado. O conhecimento de João podemos constatar e resumir em palavras como vontade, trabalho, coragem e perseverança.
Nome de origem hebraica, João "foi um dos nomes judeus mais comuns, tornando-se, no decorrer do tempo, muito popular entre os cristãos cujo o significado  estado de graça de Deus”. (Oliver Nelson, p.209).
Dinamismo, determinação e coragem é a tônica da vida de João como profissional, família sobretudo, as suas amizades.
É uma tarefa um tanto complexa para se falar sobre a vida de alguém; mas reconhecer o valor, a competência, determinação e luta na perspectiva de vitória desse alguém, além de justo é prazeroso.
Estamos falando de João Cordeiro de Andrade.
Conhecemos João em sua primeira infância, quando morava na rua da Jaqueira, depois Joaquim Nabuco, atual av. Fernando Cordier seus pais:D. Floripes Cordeiro Mendes Andrade e Sr. Antônio Andrade Neto; com Marilucia, sua irmã, formavam uma família de lutadores por uma vida organizada e feliz.
            João foi sempre um batalhador; este rapaz não se acomodava à vida farta e promissora dos familiares. João era desde cedo, amante do trabalho, sem acomodação e com dinamismo. Um exemplo: João trazia queijos, requeijões, manteiga e doces mineiros, e vendia aos amigos/fregueses, incluindo, ainda, em seu comércio detergente, desinfetantes, perfumes e até livros, que era admirado pela coragem, disposição de trabalhar, de fazer algo para dar sentido à vida, uma vez que não tinha necessidade para tal, também, por isso, criticado por alguns. Mas para João as críticas serviam de estímulo ao seu trabalho; semelhante uma formiguinha, sua luta continuava, sem desdouro. Sua determinação e a força de vontade conduziram-no a uma vitória o que ainda agora registramos com admiração.
Seu reconhecimento já é notório em ambiente científico universitário; senão vejamos: graduado em História — Licenciatura Plena, pela Universidade Estadual de Santa Cruz, além de ex-secretário do Centro de Documentação e Memória Regional — CEDOC. Sua atuação principal eram temas referentes à memória e o patrimônio cultural de Itabuna e região. Sua produção bibliográfica, técnica, artística e cultural além de eventos, congressos e exposições podem ser constatadas.
Dando substanciosa colaboração no atendimento a diversos pesquisadores não só da região como também em outras regiões do Brasil tanto que acolheu na UESC, sergipanos, paulistas, pernambucanos e até, o canadense Frank Joseph Luce para efetuar pesquisas e elaborar a sua tese de doutorado Estatuto do Trabalhador Rural no Brasil (Rural Werkers and Labour Justice).
Identificamente a este contexto acima citado, o academico pernambucano, Emiliano Ferreira Dantas, aportou em plagas grapiunas permanecendo na região por quase dois meses a procura de informações e pesquisas sobre a cacauicultura regional, tanto que o Professor João Cordeiro esmeirou-se nas referências concernentes a temática das metas do pernambucano, para concluir a sua dissertação do mestrado, tendo como título: Os meeiros do cacau no sul da Bahia, posteriormente adaptado em livro através de duas edições.
De parceria com a professora Janete Ruiz de Macedo organizou varias produções, organizações ou edições, além de participação em eventos, congressos, e feiras.
            Recentemente João foi notificado que será agraciado com o Mérito Educacional pela Faculdade de Ciência e Tecnologia-FTC, cuja solenidade realizar-se-á no mês de outubro, pelos serviços prestados como Educador.
            Com seu dinamismo João ainda apresentará outros trabalhos, como o quase concluído Mergulho no Passado, que trata da ação política de Condeúba, torrão natal dos seus ancestrais.
Sua determinação e força de vontade conduziram-no ao lugar merecido.

Uma homenagem do seus amigos, Aecio Santos e Evani Pedreira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS