DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS


LEMBRANÇAS DO NATAL

Olhando a foto do meu pai, de olhos azuis
Distante... Ausência provocada por Deus!
E dos meus irmãos, em outras paragens...
Com os meus olhos cheios de lágrimas
Sozinho, aqui neste quarto vazio...
Querendo guardar minhas magoas e afogar as tristezas!
Lembrei-me da minha infância; do meu Natal!
Criança alegre a correr nos campos
Ansiosa pelo presente de Papai Noel...
  

A pedido do meu pai
Colocávamos nossos “sapatinhos” na janela do quarto...
De manhã, decepcionados, os sapatinhos estavam vazios...
O presente não estava lá...
Enganou-nos... “os presentinhos” estavam debaixo da cama!
Em cima das nossas sandalinhas
Que alegria!...
Cedinho de um dia especial!
No cantar do sabiá e dos bem-te-vis
No pé de ingá...
Nascimento de Jesus a festejar!

Com meus irmãos discutíamos
Qual o melhor presente...!
Todos iguais, só mudavam de cor!
Carrinhos!
Camarguia: Azul, Amarelo e vermelho
- Mesa farta “ceia de natal!”...

Agora, neste mundo artificial.
De demagogia, ilusão, fantasias e utopia!
Sinto que o maior presente do meu pai
Ficou para sempre...
Aprendemos a ser dignos
Cidadãos honrados...
Pregando pelo mundo o amor...

Que saudade da Missa do Galo!
Das compra nas quermesses  da igrejinha
E do algodão doce no parque no circo
Da maçã do amor...
Hoje, como ofertar  uma flor?...

25.12.2016

Necessidade

(Hoje e sempre)
Aquela criança 
Sem pai, sem mãe...
Abandonada...

Sob a marquise 
De uma grande cidade 
Tornou-se “espirito!”...
Passou a meditar... 
A refletir!
Vendo todos a passar 
Sem ao menos olhar!
Ou a lhe observar... 
Seu corpinho delicado 
E frágil do abandono 
E da fome...
Sentiu como é cruel 
A humanidade...
E a convite do SENHOR 
Subiu aos céus...

Joselito dos Reis
25.12.2016



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna

Faeg vence edital para semear cultura pelo sul da Bahia

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO