DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS


LEMBRANÇAS DO NATAL

Olhando a foto do meu pai, de olhos azuis
Distante... Ausência provocada por Deus!
E dos meus irmãos, em outras paragens...
Com os meus olhos cheios de lágrimas
Sozinho, aqui neste quarto vazio...
Querendo guardar minhas magoas e afogar as tristezas!
Lembrei-me da minha infância; do meu Natal!
Criança alegre a correr nos campos
Ansiosa pelo presente de Papai Noel...
  

A pedido do meu pai
Colocávamos nossos “sapatinhos” na janela do quarto...
De manhã, decepcionados, os sapatinhos estavam vazios...
O presente não estava lá...
Enganou-nos... “os presentinhos” estavam debaixo da cama!
Em cima das nossas sandalinhas
Que alegria!...
Cedinho de um dia especial!
No cantar do sabiá e dos bem-te-vis
No pé de ingá...
Nascimento de Jesus a festejar!

Com meus irmãos discutíamos
Qual o melhor presente...!
Todos iguais, só mudavam de cor!
Carrinhos!
Camarguia: Azul, Amarelo e vermelho
- Mesa farta “ceia de natal!”...

Agora, neste mundo artificial.
De demagogia, ilusão, fantasias e utopia!
Sinto que o maior presente do meu pai
Ficou para sempre...
Aprendemos a ser dignos
Cidadãos honrados...
Pregando pelo mundo o amor...

Que saudade da Missa do Galo!
Das compra nas quermesses  da igrejinha
E do algodão doce no parque no circo
Da maçã do amor...
Hoje, como ofertar  uma flor?...

25.12.2016

Necessidade

(Hoje e sempre)
Aquela criança 
Sem pai, sem mãe...
Abandonada...

Sob a marquise 
De uma grande cidade 
Tornou-se “espirito!”...
Passou a meditar... 
A refletir!
Vendo todos a passar 
Sem ao menos olhar!
Ou a lhe observar... 
Seu corpinho delicado 
E frágil do abandono 
E da fome...
Sentiu como é cruel 
A humanidade...
E a convite do SENHOR 
Subiu aos céus...

Joselito dos Reis
25.12.2016



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"O Menino da Vila Zara" Artigo de Joselito dos Reis

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO