MInha Arte de Fazer Versos


Minha Arte de Fazer Versos


Por Glória Brandão

Sou essa que faz versos e verseja a vida

Ando inventando motivos para a alegria

Tenho telas de todo o jeito, pintadas com a POESIA

E quando tenho motivos prá chorar Choro a minha dor

Sim já chorei de saudade. Já chorei de tanto amar,

Já chorei por tanto esperar e estou aqui inteira a brilhar.

E são tantos os versos que bordei nas cortinas das minhas janelas

Janelas abertas, janelas fechadas, janelas cerradas...

E eu em espreita, a espera do Tempo como a construir colcha de retalhos

Retalhos de sonhos, suturados com a mais fina linha de coser Felicidade.

Venho no Tempo criando riachos de águas claras a aclarar meu viver

E não é porque sou essa flor "boba, tênue, prestes a se extinguir

Não! Preciso da claridade no meu coração para não morrer de solidão

Para viver, mas não me entregar nunca mais a falaciosa Paixão.

Trago em mim, essa sina de ser Poetisa e não posso renegar

– Amo ser Poetisa!

Se não fosse Poetisa não saberia amar, não saberia perdoar e nem esperar

Vivemos todos aqui em espera! Pensem nisso! São tantas esperas e quimeras...

Espero dias melhores, espero mais paz,

Espero aquela “conversa” , espero mais Poesia

Espero mais AMOR!

Nesse meu existir como Poetisa, aprendi também a ser Flor

Em sendo Flor, tenho minhas pétalas que perfumam e tem maciez

Não pergunte se sou orquídea, se sou hortência, se sou rosa... Sou Flor!!

E tenho meu tempo certo de ser por aqui. Para muitos, sou Rosa

Quando tudo me vai bem, sei que perfumo, sei que encanto e sou terna...terna...

Glorifico o Senhor por tantas glórias e fico assim, fazendo versos de glória. Sou Glória!

Não tenho pretensão em fazer esse ou aquele Poema. Os Poemas vêm leves...

E já brotam no meu coração como flores. Uns são de puro amor, outros são de dor.

Os Poemas dormem no meu âmago, todos quietinhos... Quando são despertos, é o Parto!

Nesse alvitre, torno-me Mãe de centenas e centenas de Filhos

Filhos que são meus e que são seus, ou por encanto e adoação, ou porque é presente.

Nessa minha arte de fazer versos, versejo o viver, o morrer...

Não morrerei, passarei, desse Plano para outro Plano e serei por lá, eu mesma

Ficarão por aqui, os estimados, os amados, os eternos, e um dia o reencontro

Você que amo, você que amei, você que sonha comigo, você que é leal...

Eu e tantos Poetas que também semeiam versos de luzes e versos de bondade

Juntemos todos para viver o Dia do Poeta e fazer da arte de ser Poeta

A mais bela arte de perfumar a vida e sonhar os sonhos mais belos

Sonhos de Poeta, são os sonhos que se confundem com a realidade

E sonhando, se vive, se trabalha, se entrega, se clama e se vive o AMOR.

Viva o dia do Poeta e aclamados sejam todos os Poetas do Universo e de Itabuna.

Prosa Poética da Poetisa Glória Brandão em homenagem ao Dia do Poeta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professor João Cordeiro de Andrade homenageado pela FTC/Itabuna

Faeg vence edital para semear cultura pelo sul da Bahia

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO