MInha Arte de Fazer Versos


Minha Arte de Fazer Versos


Por Glória Brandão

Sou essa que faz versos e verseja a vida

Ando inventando motivos para a alegria

Tenho telas de todo o jeito, pintadas com a POESIA

E quando tenho motivos prá chorar Choro a minha dor

Sim já chorei de saudade. Já chorei de tanto amar,

Já chorei por tanto esperar e estou aqui inteira a brilhar.

E são tantos os versos que bordei nas cortinas das minhas janelas

Janelas abertas, janelas fechadas, janelas cerradas...

E eu em espreita, a espera do Tempo como a construir colcha de retalhos

Retalhos de sonhos, suturados com a mais fina linha de coser Felicidade.

Venho no Tempo criando riachos de águas claras a aclarar meu viver

E não é porque sou essa flor "boba, tênue, prestes a se extinguir

Não! Preciso da claridade no meu coração para não morrer de solidão

Para viver, mas não me entregar nunca mais a falaciosa Paixão.

Trago em mim, essa sina de ser Poetisa e não posso renegar

– Amo ser Poetisa!

Se não fosse Poetisa não saberia amar, não saberia perdoar e nem esperar

Vivemos todos aqui em espera! Pensem nisso! São tantas esperas e quimeras...

Espero dias melhores, espero mais paz,

Espero aquela “conversa” , espero mais Poesia

Espero mais AMOR!

Nesse meu existir como Poetisa, aprendi também a ser Flor

Em sendo Flor, tenho minhas pétalas que perfumam e tem maciez

Não pergunte se sou orquídea, se sou hortência, se sou rosa... Sou Flor!!

E tenho meu tempo certo de ser por aqui. Para muitos, sou Rosa

Quando tudo me vai bem, sei que perfumo, sei que encanto e sou terna...terna...

Glorifico o Senhor por tantas glórias e fico assim, fazendo versos de glória. Sou Glória!

Não tenho pretensão em fazer esse ou aquele Poema. Os Poemas vêm leves...

E já brotam no meu coração como flores. Uns são de puro amor, outros são de dor.

Os Poemas dormem no meu âmago, todos quietinhos... Quando são despertos, é o Parto!

Nesse alvitre, torno-me Mãe de centenas e centenas de Filhos

Filhos que são meus e que são seus, ou por encanto e adoação, ou porque é presente.

Nessa minha arte de fazer versos, versejo o viver, o morrer...

Não morrerei, passarei, desse Plano para outro Plano e serei por lá, eu mesma

Ficarão por aqui, os estimados, os amados, os eternos, e um dia o reencontro

Você que amo, você que amei, você que sonha comigo, você que é leal...

Eu e tantos Poetas que também semeiam versos de luzes e versos de bondade

Juntemos todos para viver o Dia do Poeta e fazer da arte de ser Poeta

A mais bela arte de perfumar a vida e sonhar os sonhos mais belos

Sonhos de Poeta, são os sonhos que se confundem com a realidade

E sonhando, se vive, se trabalha, se entrega, se clama e se vive o AMOR.

Viva o dia do Poeta e aclamados sejam todos os Poetas do Universo e de Itabuna.

Prosa Poética da Poetisa Glória Brandão em homenagem ao Dia do Poeta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL É TEMA DE NOVO LIVRO DA EDITUS