Estátua de Jorge Amado é depredada no Rio Vermelho, em Salvador

A escultura do artista plástico Tatti Moreno simula Jorge - em tamanho real - sentado em um banco ao lado da mulher, a também escritora Zélia Gattai, morta em 2008, e o cachorro do casal, Fadul (Foto: Nelson Barros Neto/Folhapress)
A escultura do artista plástico Tatti Moreno simula Jorge ?em tamanho real? sentado em um banco ao lado da mulher, a também escritora Zélia Gattai, morta em 2008, e o cachorro do casal, Fadul (Foto: Nelson Barros Neto/Folhapress)

Uma estátua em homenagem ao centenário de nascimento do escritor baiano Jorge Amado (1912-2001) foi depredada três dias depois de ser inaugurada em uma praça em Salvador. O rosto do escritor recebeu o símbolo da anarquia, além de outros rabiscos.
 
A escultura de bronze, feita pelo artista plástico Tatti Moreno, mostra Jorge Amado –em tamanho real– sentado em um banco ao lado da mulher, a também escritora Zélia Gattai, morta em 2008, e o cachorro do casal, Fadul.

A exemplo da estátua do poeta Carlos Drummond de Andrade na praia de Copacabana, no Rio, ela fica de frente para o mar.
“O choque foi grande. É uma estupidez. A gente mal inaugurou, todo mundo estava parabenizando, gente pra burro visitando, e de repente aconteceu isso”, disse o autor da escultura.

Tatti Moreno desenvolveu o trabalho em parceria com a Amarv (Associação de Moradores do Rio Vermelho), bairro onde Jorge morava. (Nelson Barros Neto, da Folha)

jornaldamídia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM LIVRO

DOIS POEMAS DO NATAL DE JOSELITO DOS REIS

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL É TEMA DE NOVO LIVRO DA EDITUS